CURSO DE GRAFOTÉCNICA E DOCUMENTOSCOPIA EM REGISTRO

A Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP) promoveu na tarde deste sábado (09.06) o Curso de Grafotécnica e Falsidade Documental no município de Registro, localizado a cerca de 195 quilômetros da capital paulista, para um público de cerca de 40 pessoas.
 
 
40

Participantes


Quantidade de participantes do curso
A Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP) promoveu na tarde deste sábado (09.06) o Curso de Grafotécnica e Falsidade Documental no município de Registro, localizado a cerca de 195 quilômetros da capital paulista, para um público de cerca de 40 pessoas.
O treinamento voltado à regional do Vale do Ribeira, que compreende 18 municípios, ocorreu no hotel Estoril Palace e foi ministrado pela professora Mara Cristina Tramujas Calabrez Ramos, perita em Grafotecnia e Documentoscopia pelo Conselho Nacional de Peritos Judiciais da República Federativa do Brasil (Conpej). No curso, foram abordados quais são as características de uma assinatura e os procedimentos para identificar uma fraude. Segundo Ramos, que possui mais de 10 anos de atuação na área perícia judicial, um dos objetivos do evento era dar ao funcionário do cartório esclarecimentos para que ele tenha rapidez e autoconfiança no trabalho. “Esclarecemos e apresentamos o máximo orientações para que o atendimento no cartório seja o mais eficiente possível, porque é assim que deve ser. Com o titular ou funcionário do cartório treinado, fica mais difícil de ocorrer a fraude. Porém, se não tem capacitação e nem preparo, eles estão mais vulneráveis e são uma presa fácil para os fraudadores”, destacou a perita. Com essa mesma compreensão, a diretora regional da Arpen/SP no Vale Ribeira e oficial de registro Civil do Cartório de Pariquera-Açu/SP, Luana Varzella Nassaro, ressaltou a importância do aprendizado. “Nós oferecemos segurança, é para isso que o cartório existe. Então nada melhor do que ter precaução na prática de um ato para dar solidez ao usuário que está nos procurando”, enfatizou.
A diretora ainda destacou que a preparação do titular e dos funcionários é o item mais importante no ato do reconhecimento de firma. “Precisamos estar aptos para aferir se aquela firma, que está sendo apresentada, está idêntica à que está depositada no cartório. E para isso, precisa que a equipe formada esteja capacitada para dar segurança ao usuário e aos oficiais. É simplesmente imprescindível”, complementou a diretora regional. De acordo com o escrevente do Cartório de Juquiá, Michael Rodrigues Pereira, o conhecimento e as informações apresentadas durante o treinamento foram de extrema importância, além de muito interessantes. Para Pereira, “o curso enriquece a nossa compreensão para que na hora do atendimento possamos diferenciar o que original no documento, ou o que é uma falsificação”. Seguindo a mesma linha de raciocínio, a escrevente do Cartório de Itariri, Janaína Bello, afirmou que a experiência possibilitou perceber “detalhes em uma assinatura”. Já a oficial Érica Kazumi Kashiwagi, titular do Cartório de Sete Barras, destacou a importância da participação dos funcionários e dos titulares dos cartórios em realizar o treinamento. “Precisamos nos atualizar quantos as normas e quanto aos procedimentos. Eu fiz questão de vir com os meus funcionários, para incentiva-los e achei extremamente relevante”, afirmou.
Fonte: Assessoria de Comunicação